• QUEM SOMOS

    A Ordem da SantÍssima Trindade e dos Cativos foi fundada por São João de Matha, o qual teve esta inspiração enquanto celebrava a sua primeira missa no ano de 1193. Oitocentos anos depois, esta mesma inspiração e a sua obra continuam a nos interpelar! Os Frades Trinitarios são impelidos por um espírito apostólico que os fazem anunciadores da libertação aos mais pobres, aos abandonados e marginalizados, e sobretudo, àqueles cristãos em perigo de perder a fé, por causa de sua fidelidade ao Evangelho...

  • ESPIRITUALIDADE TRINITARIA

    A vida especialmente consagrada a Santíssima Trindade constitui, desde sua origem, um elemento essencial e característico do patrimônio da Ordem Trinitária. Desta consciência trinitária flui toda sua vida espiritual e litúrgica, religiosa, comunitária e apostólica, e sua permanente renovação...

  • ONDE ESTAMOS

    A Ordem da Santíssima Trindade, dividida em sete províncias religiosas, três vicariatos e duas delegações, está presente hoje na: Itália, Espanha, frança, Alemanha, Áustria, Estados Unidos, Canadá, México, Guatemala, Porto Rico, Colômbia, Brasil, Peru, Bolívia, Chile, Argentina, Índia, Madagascar, Polônia, Gabão, Congo e Coréia do Sul. A missão dos religiosos trinitários, espalhados pelo mundo, é garantir a assistência a aqueles que mais necessitam: aos pobres, vítimas das diferenças sociais; aos cristãos perseguidos, vítimas de intolerâncias...

PROFISSÃO SOLENE

A profissão solene é uma opção e consagração plena e definitiva, empenho radical que qualifica todas as dimensões da vida do religioso. Quem emite a profissão solene faz publicamente na Igreja oblação total de si a Deus Trindade na nossa Ordem. A profissão solene supõe uma preparação prolongada e um aprendizado perseverante. Isto justifica porque a Igreja o faz preceder de um período de profissão temporária (Cf. PI 56).

Todo o ser do homem é introduzido, com um novo título, numa nova união de amizade com Deus que abraça toda a sua vida e atividade. Sublinha a dimensão eclesial pública, o vínculo de união definitiva com a Ordem, uma nova situação eclesial definitiva. Dado que a profissão solene vem a ser a meta desta etapa de formação, é lógico que todo o período dos votos simples seja considerado como tempo de preparação ao empenho definitivo (Cf. PI 56).

PREPARAÇÃO  IMEDIATA

A preparação que deve preceder imediatamente a profissão se organize de tal modo que possa considerar-se  como um outro noviciado (Cf. RC 9, 35; DG 156).

A preparação à profissão solene exige uma experiência espiritual forte e prolongada. Durante este período de preparação especial, é necessário que os professandos contem com a colaboração de pessoas que possam guiá-los pessoalmente e como grupo; disponham também de ambientes e de tempo para uma autêntica vida comunitária, como também do material necessário de estudo para poder aprofundar a vocação trinitária.Esta iniciativa de um tempo de preparação especial para a profissão solene merece ser fomentada em nível interprovincial e, na medida do possível, em nível da Ordem, para crescer na fidelidade, comunhão e pertença ao carisma trinitário.

A celebração litúrgica distinguirá com cuidado a profissão solene, celebrando-a com solenidade e na presença dos religiosos e do povo, porque ela é sinal de união indissolúvel de Cristo com a Igreja, sua esposa (Cf. LG 44; SC 80; Ordo Pr. R. 6, 135-172; PI 56).